Você está aqui: Página Inicial Notícias Tema da inovação é mostrado em manual

Tema da inovação é mostrado em manual

14/04 - 12:53 - Agência Estado

Não há quem não saiba que enfrentar a concorrência é sempre o desafio de qualquer empresa. E para isso é preciso ser competitivo.

E para ser competitivo... inovar. A lição é simples e conhecida, mas inovar tem lá seus caminhos e certas exigências, que nem sempre os empresários conhecem.

Assim, o Movimento Brasil Competitivo (MBC) reconheceu a necessidade de que os empreendedores pudessem ter documentados os dados importantes relacionados a essa iniciativa e lançou o Manual de Inovação para Micros e Pequenas Empresas, que está disponível para download no site do MBC.

O diretor da entidade, Claudio Gastal, explica que foi uma "ousadia" lançar um manual sobre inovação, já que inovar não é prática que tenha sua receita, mas algo que depende da atitude do empreendedor. "Entretanto, a inovação passa sim por processos, produtos, modelos de negócios que podem ser teorizados e explicados". No manual, há textos explicativos sobre tipos de inovação, intensidade e abrangência; e como criar condições para inovar, entre outros. Na segunda parte são descritos os instrumentos do Brasil que apóiam a inovação e as condições e procedimentos para obtê-los (financeiro ou técnico-gerencial). E na terceira parte, os instrumentos de apoio à inovação em vários Estados do Brasil.

Gastal explica que dos passos necessários à inovação fazem parte conhecer muito bem os processos internos da empresa. "Grande parte das idéias inovadoras surgem quando se descobrem lacunas em algum processo", diz ele, enfatizando que os funcionários da empresa são participantes importantes dessas descobertas.

Outro ponto que o manual levanta sobre a inovação é que não se trata de uma iniciativa apenas ligada a produtos e serviços, mas também a processos de gestão. E mais, diz o manual: "Para que uma empresa continue competitiva em seu mercado é preciso que a atitude de inovar possa ser implementada nas diversas áreas funcionais da organização e não somente em um departamento ou seção específica".

Incubadora

O manual do MBC faz também uma referência específica às incubadoras - ambientes que estimulam a criação e protegem o desenvolvimento de novas empresas e que geralmente localizam-se em uma universidade ou instituto de pesquisas -, descritas como um dos apoios para que uma empresa iniciante possa inovar.

E esse foi o caso de Mervin Lowe, um dos dois sócios no comando da P3D Tecnologia da Imagem. A idéia de ambos foi criar uma versão acessível e compatível com PCs normais de um software de visualização de imagem 3D que já existe há 20 anos no mundo, mas que é de altíssimo preço. É uma tecnologia que, segundo Lowe, é adotada em simulações por empresas de aviação, por exemplo.

Percebendo um nicho de mercado ainda não atendido, eles criaram então essa versão de imagem em 3D possível de ser transmitida em PCs normais e dirigiram os temas para a área educacional. O resultado é que, diz Lowe, eles têm atualmente cerca de 150 instituições educacionais espalhados pelo Brasil.

A empresa ficou incubada no Cietec, na USP, por cerca de quatro anos (período em que Lowe aproveitou para levantar investidores) e agora está há dez dias de voar sózinha: vai se instalar na região da Berrini, em São Paulo. A empresa tem 20 funcionários e fatura anutalmente cerca de R$ 2 milhões. A expectativa de Lowe é faturar R$ 3 milhóes nos próximos 12 meses.

Ações do documento
Share |