Você está aqui: Página Inicial Notícias FINEP reforça editais para PMEs

FINEP reforça editais para PMEs

Durante o lançamento do Prêmio FINEP na região Norte, ocorrido em Belém, no Pará, nesta segunda-feira (19/05), na sede do Sebrae, foram anunciadas novidades para as micro e pequenas empresas. A superintendente da FINEP, Gina Paladino, antecipou uma série de medidas da instituições.

Entre elas, destacam-se: a previsão de novo edital do Programa Juro Zero para credenciar agentes parceiros em estados ainda não atendidos; o lançamento de um edital voltado para incubadoras-âncora ainda este semestre, assim como o lançamento do Programa Prime, voltado para empresas com até dois anos de existência, e das negociações de uma nova chamada em parceria com o Sebrae focada nos setores de móveis, confecções e calçados até o fim do ano.

O Juro Zero, criado no final de 2005, é operado em cinco estados – Paraná, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Santa Catarina – e já tem 50 projetos aprovados, com cerca de R$ 30 milhões em recursos da FINEP. A idéia é ampliar a abrangência do programa.

"Queremos dar cada vez mais capilaridade às ações da Financiadora", disse a executiva, citando outras iniciativas já consolidadas, como o PAPPE 1 – Programa de Apoio à Pesquisa na Empresa, que atinge 20 estados, com 620 projetos em um total de R$ 160 milhões aplicados em recursos, e o PAPPE Subvenção (dinheiro aplicado diretamente em empresas), que tem convênios em 17 estados e já recebeu R$ 150 milhões.

Como complemento a essas iniciativas, Gina Paladino citou a importância da criação de leis de inovação estaduais, alinhadas com o instrumento da subvenção, para alavancar o investimento em empresas inovadoras. O diretor superintendente do Sebrae/PA, Hildegardo Nunes, corroborou a idéia. "Não há como pensar em um processo sustentado de desenvolvimento que não seja baseado na inovação e na tecnologia, e esse esforço tem que ser de todos", disse.

Prática

Uma prova da diferença que esse investimento  pode fazer e de como a inovação está ao alcance de empresas de todos os portes foi dado pela Oxigênio da Amazônia, pequena iniciativa baseada em Rondônia. Seu projeto de usina de oxigênio voltada para hospitais ganhou o Prêmio FINEP 2007 na categoria Produto Regional, e menção honrosa na etapa nacional.

A diretora comercial, Maria Aparecida Conde, explicou como conseguiram desenvolver um processo que fez o metro cúbico do oxigênio poder ser produzido por apenas R$ 0,70 – no Sul ele custa entre R$ 1 e R$ 3  e no Norte esse valor vai de R$ 16 a R$ 40. O Prêmio FINEP deu um impulso inesperado aos negócios. “Sem gastar nada conseguimos valorização e credibilidade, divulgação farta e nosso mercado cresceu muito”, contou entusiasmada.

Aparecida e seu marido trocaram Curitiba por Rondônia  por verem o Norte como "muito promissor". Falando sobre a região, o coordenador do Prêmio FINEP Paulo Rezende  falou sobre os desafios locais. Entre 2004 e 2007 o Pará firmou com a FINEP 62 contratos e convênios, em um total de R$ 47 milhões, o que representa cerca de 25% do total destinado ao Norte. Mas desses, apenas dois são de fora de Belém.

"É preciso conquistar o interior e descobrir os inovadores que estão lá", disse Paulo. As inscrições para o Prêmio FINEP são gratuitas e estão abertas até agosto. O regulamento e outros detalhes podem ser consultados no site do Prêmio FINEP (www.finep.gov.br)

Fonte: http://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=13961&sid=3
:: Da redação
:: Convergência Digital :: 20/05/2008

Ações do documento
Share |